Tag : veterinário

12 posts

Pessoal! Olhe o que eu encontrei na Net!

FRED_MALTES

Olá Pessoal! Navegando pela net encontrei esse lindo cachorrinho (raça maltês) , ele se chama Frederico, mais conhecido como Fred, ele pertence a Kamila Rossi e de seu namorado, Marcelo Terhorst, de Caxias do Sul – RS.

Ela conta que o mascote tem cinco meses, está sempre pulando, adora brincar e é a grande alegria da casa. Curtam o Fred. Ele é lindo não é?


Conheça a história da raça de cão Shar Pei

shar-pei01

História:  Na década de 1970, o Shar Pei chegou a ser citado no Guinness book — O livro dos recordes como o cão mais raro do mundo. A história desta raça tem início na China, na dinastia Han (206 a.C. a 220 d.C.), mas acredita-se que sua origem possa ser de até 2.000 anos atrás. O fato de o Shar Pei ser uma das mais antigas raças conhecidas, porém, não faz com que o padrão dos exemplares encontrados hoje em dia seja totalmente fiel ao padrão original da raça.

O Shar Pei já esteve seriamente ameaçado de extinção, e não mereceu menção no livro dos recordes à toa. Isso porque a partir de 1949, com a revolução comunista de Mao Tse Tung, a posse de animais de estimação passou a ser proibida — levando ao sacrifício de todos os cães que não fossem comprovadamente usados para auxiliar o homem e impondo multas altíssimas aos proprietários que quisessem manter seus animais de estimação. Os cães abatidos eram destinados à alimentação da população daquele país.

Este tradicional hábito dos chineses de se alimentar da carne de cães também pode ter agravado a situação dos Shar Peis, embora afirme-se que sua carne não era tão apreciada.

Considerado um excelente caçador, o Shar Pei original conseguiu subsistir, mas suas características físicas foram bastante modificadas. Seu corpo enrugado e a valentia diante de outros cães fizeram com que fosse utilizado muitas vezes como cão de brigas — daí a denominação norte-americana Chinese Fight Dog. As tentativas de transformar o Shar Pei em um verdadeiro cão de combate foram responsáveis pelos diversos cruzamentos inter-raciais nas décadas de 1960 e 1970. Naquela época, os cães sofriam de desnutrição, não atingindo seu tamanho ideal e gerando filhotes mais fracos e ainda menores.

Este problema tornou-se de difícil solução pela freqüência dos cruzamentos consangüíneos, devido ao pequeno número de exemplares disponíveis.

Assim, o padrão oficial estabelecido primeiramente para o Shar Pei em 1981 definia características diferentes da raça original. As pregas na pelagem do adulto eram mais numerosas, a proporção do corpo do animal e do focinho eram diferentes e as medidas da altura eram maiores.

Nesta época, alguns criadores chineses já mostravam preocupação em resgatar as características da raça original. Visando justamente redefinir o deficiente padrão em voga, se considerado todo o histórico do Shar Pei, um grupo de criadores chineses formou o Hong Kong Shar Pei Club, dedicado à criação de exemplares mais próximos do original.

Em 1994, a FCI (Federação Cinológica Internacional) passou a adotar este novo padrão, que condena a cabeça e o focinho de proporções avantajadas e valoriza o porte mais alto. Vale lembrar que os Estados Unidos não adotam ainda o novo padrão, portanto esteja atento às diferenças entre os tipos de Shar Pei que você poderá encontrar.



PAGE TOP
Pular para a barra de ferramentas