passáros no fio

Segundo o professor de física do Cursinho da Poli Bassam Ferdinian, os pássaros não tomam choque porque a distância entre as patas dos animais não é suficiente para gerar uma diferença de potencial (DDP) capaz de eletrocutá-los.

Ou seja, para que o pássaro tome um choque, é necessário que a corrente elétrica circule pelo seu corpo, gerando uma diferença de potencial. É assim que funcionam os aparelhos elétricos, que só são ativados quando há uma diferença de potencial entre os pontos em que esteja ligado para que as cargas elétricas possam se deslocar.

Agora, se um ser humano resolver agarrar (com ambas as mãos) um fio elétrico sem estar isolado, é muito provável que ele tome um choque. “A distância entre as mãos de uma pessoa é suficiente para gerar uma diferença de potencial e, conseqüentemente, tomar um choque”, disse Ferdinian.

DDP
A diferença de potencial (DDP) ou o desnível de energia potencial ocasiona o deslocamento espontâneo de cargas ao nível do campo elétrico onde atuam forças que realizam trabalho. Ou seja, é através dele que a energia elétrica faz motores funcionarem e lâmpadas acenderem. Ou gera um tremendo choque.