lavando-as-maos porco

Imagine a cena: você desce a escada rolante do shopping, apoiado no corrimão, e se dirige à praça de alimentação. Lá, escolhe o que quer comer, pega o prato e senta. Antes, porém, alguém infectado com o vírus Influenza A (H1N1), conhecido por gripe suína, espirrou e colocou a mão no corrimão da escada ou se apoiou na bancada do restaurante. É um passo para você ser contagiado. Pois bem, então que tal lembrar do conselho de seus avós e pais dizendo para lavar as mãos antes das refeições, depois de usar o banheiro, chegar da rua ou brincar?

É isso mesmo. Parece uma coisa banal, mas essa atitude pode evitar muito a transmissão da gripe suína, que a cada dia faz mais vítimas. A fórmula é simples. Muita água e sabão. E depois, álcool em gel, caso esteja disponível. E repetir a operação muitas vezes por dia e a cada hora que espirrar, tossir, usar o banheiro e antes de se alimentar. As mãos têm de ser lavadas e bem esfregadas demoradamente.

Lembre-se de que uma das formas de se transmitir a gripe suína, assim como a gripe comum e outras doenças contagiosas, como rubéola e catapora, é quando a pessoa tem contato com superfícies recentemente contaminadas por secreções respiratórias de alguém infectado. E, em seguida, leva as mãos à boca, nariz e olhos, segundo o Ministério da Saúde.

lavando-as-maosSó água não adianta

De acordo com o professor de infectologia da Faculdade de Medicina do ABC, Munir Akar Ayub, só água não resolve o problema. “Use sabonete comum e faça espuma, porque é ela que tira as bactérias. Lave bem toda a mão e entre os dedos”. O álcool 70% e a versão em gel também podem ser usados, mas o médico alerta que não substituem completamente a combinação água e sabão. Ou seja, o ideal nestes tempos de gripe suína é combinar os dois processos.

Para secar as mãos, o ideal é usar toalhas descartáveis. “O problema da toalha comum é que, se alguém não lavar as mãos direito e as enxugar nela, pode transmitir doenças para o próximo que utilizá-las”.